O “ouro branco” da Lusitânia

Tamanha a dignidade da obra e a majestade espartilhada
por apertados limites!

Silv. 4.6.35-36

2. Esboço de escultura de vulto de togado

 

Aqui o delicado grupo de Forco e Cimódoce com os cabelos
a pingar e a Galateia verde-mar desejam banhar-se.

Silv. 2.2.19-20

9. Carranca fontenária

 

Aqui estão mármores extraídos das profundezas das pedreiras
gregas: o que a veia da oriental Siene borrifa,
o que os machados frígios escavam na desolada Sínade
pelos campos da chorosa Cíbele, onde na pedra pintada
a superfície branca é delimitada por círculos de cor púrpura…

Silv. 2.2.85-89

23 e 24. Placas decorativas representando
um capitel de pilastra
25 e 26. Guarnição parietal

 

 

Para mais informação sobre as peças, carregue nas imagens.